quarta-feira, 6 de maio de 2009

Você pensa no consumo consciente?


Tenho refletido muito sobre a questão do consumo consciente. Nunca fui de gastar os tubos em roupas, e como tenho um estilo bem definido, procuro optar por roupas mais versáteis, no que diz respeito à ocasião e à combinação.
Ler os blogs de vocês é importante pra mim porque aprendo a fazer combinações variadas com as roupas que já tenho. Além disso, na minha família repleta de mulheres, é tradição fazer um intercâmbio de roupas e calçados.
A moda nem sempre esteve a meu favor, e houve temporadas em que nada do que era vendido me seduzia.
Contudo, com o advento do vintage e da moda rocker, que norteiam o meu estilo, confesso que ficou difícil pra mim resitir às tentações. Penso que hoje estou fazendo um investimento para o futuro, quando nada disso vai estar em alta. Estou estocando, entendem, rsrs.
Mas em tempos de crise ecológica e econômica, há que se pensar em nossa contribuição para um mundo possível, repensando valores e desenvolvendo alternativas criativas para que a moda continue nos divertindo, ainda que de maneira diferente.

Que tal pensar nisso? Você já tem propostas?

***

O Guia do Consumo Consciente - Por Mirela Lacerda

Falar de ecologia até alguns anos atrás era sinônimo de assunto chato. Aquela imagem dos militantes do Greenpeace ou qualquer reportagem das TVs internacionais sobre o desmatamento na Amazônia eram as primeiras coisas que vinham à nossa cabeça. Mas isso era antes. Agora, pensar em ecologia é pensar em salvar o mundo para gerações futuras, é, no caso da moda, pensar em ética na produção de roupas e acessórios e, finalmente, é refletir sobre consumo consciente.

É claro que com a ajuda das estrelas de Hollywood, como Leonardo DiCaprio e Cameron Diaz, um documentário que rendeu um Prêmio Nobel a Al Gore, uma marca de camisetas (Edun) com Bono Vox e sua mulher, Ali Hewson, à frente e Stella McCartney, uma das estilistas mais celebradas da década, mostrando que ser ecologicamente correto não significa abrir mão do estilo, fica bem fácil falar sobre o assunto. Frivolidades à parte, a questão é séria e impossível de ser ignorada. A próxima década será a do consumo consciente, portanto, quem ainda não se preparou para isso está perdendo tempo e dinheiro.

Em recente palestra do Modalogia, falamos sobre a importância de pensar no meio ambiente na hora de criar roupas. O maior exemplo bem-sucedido é Stella McCartney, que não usa couro nos acessórios, utiliza tecidos orgânicos em algumas coleções e tem até uma linha de cosméticos naturais. A estilista declarou para Suzy Menkes que não é uma designer de moda descartável. “Acredito muito em criar peças que não serão queimadas, não irão acabar em ‘lixões’ ou vão prejudicar o meio ambiente”, completou. A própria Suzy em sua coluna no IHT determinou: “O destino do planeta está se tornando uma questão mais importante que os escândalos das celebridades.”

Outro sinal de que uma nova mentalidade está surgindo veio de improváveis fontes. Bernard Arnault, presidente da LVMH, e François-Henri Pinault, da PPR, também estão pensando “verde”. O primeiro já declarou seu interesse em incorporar grifes ecologicamente corretas e focadas em trabalho ético. Os rumores dão conta que esta marca seria a Edun, de Bono e Ali Hewson. Já François, que detém o controle da Stella McCartney, Alexander McQueen e Gucci, entre outros, financiou um documentário chamado “Home” sobre a degradação do planeta e já estuda, junto com Frida Giannini da Gucci, formas de reciclar couro e camurça.
Concluindo, é hora de ter responsabilidade e agir. Se você é consumidor, comece a questionar a origem das roupas que você compra. Como são feitas, onde são fabricadas, como os empregados da marca são tratados e qual é o impacto ambiental da produção. Adote idéias simples, como reciclar o jeans (cujo processo de lavagem é dos mais poluentes) e transformá-lo em capas de móveis, por exemplo, ou comprar apenas novos bolsos em vez de calças novas. Promova bazares entre amigas e use sua criatividade para modificar peças fora de uso.



“ A grande revolução da moda no século 21 vai ser o consumo consciente. Comprar por comprar é uma coisa terrível. Eu mesma quero começar a produzir menos. Se as pessoas não se conscientizarem disso, o mundo vai acabar.” (Vivienne Westwood)

***

Ouvindo: Ben Folds Five - Kate

11 comentários:

  1. Vivienne é minha musa!

    Olha, eu ando pensando bastante sobre meu consumismo, sobre a consciência que é preciso ter em relação à tudo aquilo que consumimos, não só às roupas e os sapatos. Acho que nós, donas de veículos de comunicação (ainda que modestos) temos o dever de levantar essas questões, de criar alternativas, de fazer diferença (vê a Ana com o Bazar do OFF, por exemplo). Se todas fizermos uma pequena parte, criamos o vírus da conscientização. Seria tão bom, né? Vivemos um período de crise econômica, de epidemias, de aquecimento global, de racionamento de água e energia, de tantas coisas ruins. E são esses períodos que mentes brilhantes têm soluções mirabolantes! Coloquemos nossas cabecinhas para pensar, vamos fazer a nossa parte!

    B-jinho, Flor.

    ResponderExcluir
  2. Realmente a gente acaba que consome demais! E muitas vezes a nossa compra e tao superficial, nao usamso depois, ou nao tem a ver com a genet. Eu sempre passo adiante, dou mesmo e nao fico com pena. Eu nao sou de comprar muito nao, mas se eu tivesse condicoes, acho que compraria mais. Confesso que reduzo nas compras por conta do dinheiro, afinal tbm tem as contas, cofrinho e viajens que amo.
    Quantoa ecologia acho que devemos pensar em todos os atos que fazemos, em tudo eu procuro econmizar, seja na luz ou nas embalagens, aqui nos usamos muito as ecobags, mas sempre sinto falta dos saquinhos de plastico para o lixo, pq la no brasil sempre usavamos o saco do supermercado. Aqui nos compramos um oficial, mas o saco e gigante, nao da para manter na cozinha, por isso deixo ele la na varanda, e na cozinha uso embalagens para jogar o lixo, e isso e uma beleza!! =]


    bju bju

    ResponderExcluir
  3. Uooouu !! Adorei !!!! Eu também acho que comprar por comprar não é legal ! A roupa tem que ser durável, usável, elegante (do tipo entra em qualquer lugar!)... as clássicas são ecológicas pra mim !! rsrsrs ! Um abraço !!

    ResponderExcluir
  4. Acho que amanhã tem look com ele!

    Quanto à renovação, sempre fui a favor. Sempre doei roupas, vendo algumas pela net, compro pela net tb. Nunca fui de gastar muito, mas concordo com vc que tem vezes que nada que está na moda combina com a gente, mas tem vezes, como agora, que acho tudo lindo! Mas eu sempre me programo, penso bem no que vou comprar e no que realmente combina comigo e me programo financeiramente pra comprar. Esse mês eu já gastei a minha cota e não vou comprar mais nada.

    Tem que ser assim, senão a gente acaba com o nosso dinheiro e ficamos com um guarda-roupa cheio que coisas que não usamos.

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Olha, depois que faço parte desse mundo blogosférico da moda, tenho aprendido a me controlar. Ver o que vale realmente a pena e adequar melhor ao meu estilo. Mas é difícil e a tentação é grande.
    beijinho

    ResponderExcluir
  6. Vi sim Aline, o próximo post será sobre ele!
    beijo

    ResponderExcluir
  7. Ah!!! adorei o blog os looks tudo estou seguindo já!!

    beijinhus ;.,;.,;.,.;,

    ResponderExcluir
  8. Adorei o post,Aline!Sabe que ontem mesmo eu vi um camiseta que tem incorporada em sua malha duas garrafas pet,que malha gostosa...não sei se é por causa das pets...mas muito legal!


    bjs

    ResponderExcluir
  9. Lindona, morar na ZS é digno, dizer que não gosta e tals é coisa de gente que não conhece.

    Há de ser admitir, problemas e violência está em todo lugar, mas conviver com isso e ainda sim ter qualidade de vida são outros 500.

    Digo isso porque não moro na ZS mas respiro o tempo todo, minha vida é toda lá, trabalho por lá, me divirto por lá. Seria perfeito simplesmente unir tudo isso, sem maiores preocupações.

    Realmente não vejo a hora de conseguir meu espacinho, será a realização de um dos meus grandes sonhos.

    Besos.

    PS: Seu post está maravilhoso!

    ResponderExcluir
  10. Olá Aline,

    Outro dia fizeram uma entrevista ao designer Philip Stack. Para quem não sabe ele faz peças lindas de acrílico para a empresa Kartell.
    Ele falava justamente deste consumo e desenvolvimentos de produtos conscientes.
    Porque o plástico não pode ser considerado chique?
    Ele comentou que tem 20 anos que ele tem essa parceria com a Kartell porque foi a única empresa a entender o pensamento dele e investir nisso.
    Ele também disse que não fará novos projetos no Brasil porque ele não está de acordo com paises que aceitam o BIOGÁS. Pois este fará com que mais rapidamente não tenha alimentos para a população.
    Se ele está correto ou não, ainda não tenho a resposta. Mas temos que realmente pensar nessas questões,
    Abraços,
    Carol

    ResponderExcluir
  11. We must do our best to protect our environment! Even little gestures like planting a tree or recycling PET bottles count.

    ResponderExcluir