quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Dica de cinema: Revolutionary Road














Revolutionary Road (Foi apenas um sonho) é daqueles filmes que te dão um soco no estômago. O filme narra a vida de um casal de classe média do subúrbio norte-americano e ambientado na Nova York, da década de 50. Frank (Leonardo DiCaprio) e April Wheeler (Kate Winslet) se mudam para a rua Revolutionary Road a fim de começar uma vida nova. Após o fracasso de April como atriz, Frank passa a sustentar sozinho a casa, trabalhando na mesma empresa que empregou seu pai por toda a vida. Os dois exibem um estilo que, para os amigos e vizinhos, parece perfeito: um casal moderno, ambicioso, diferente da maioria No entanto, no íntimo dos dois, a vida pequeno burguesa e suburbana se revela cada dia mais tediosa e medíocre.

O diretor Sam Mendes retoma questões já abordadas em seu filme mais conhecido, Beleza Americana, como a crítica ao modo de vida hipócrita e frugal das famílias norte-americanas, desta vez, substituindo o tom sarcástico de Beleza Americana pelo caráter mais fúnebre e mordaz de Revolutionary Road .

O roteiro, assinado por Justin Haythe é baseado no romance de Richard Yates, apresentando uma ótima evolução e clímax na hora certa. Os diálogos, repletos de tensão, dúvida e ofensividade, contribuem fortemente  para as impecáveis interpretações de Kate Winslet e Leo DiCaprio.

O reencontro de Winslet e DiCaprio, dessa vez, é marcado por uma maior precisão artística e explosão dramática. Interpretando um homem cujo maior medo é repetir a mediocridade do pai, o personagem de DiCaprio estabele uma relação altamente instável e problemática com a esposa. 

Ao propor que se mudem para Paris, April consegue dar esperança ao marido e, principalmente, a si mesma. Entre muitas reviravoltas e questões morais, contudo, o casal vai perdendo o entusiasmo e mesmo o amor pela família. Frank tem medo de não conseguir ser mais que um simples funcionário. April começa a vê-lo com olhos menos encantados, achando-o um covarde medroso e conformado.

Os atores têm presença inflamada em cena e mostram com rigor os egos perturbados de seus personagens. Para completar o elenco de peso, temos a bela atuação de Michael Shannon, indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante pelo papel de John Givings, um homem com problemas mentais que conhece os Wheeler. Com uma sinceridade peculiar, John é o único que entende as questões profundas que afligem a vida do casal e acaba transtornando mais ainda o casamento dos dois.


Indicados ao Globo de Ouro do ano passado, os protagonistas foram ignorados pela Academia. Winslet, além de faturar o Globo por sua atuação coadjuvante em O Leitor, também abocanhou o prêmio na categoria de atriz principal em drama. O Oscar, no entanto, indicou Revolutionary Road somente para as categorias de Ator Coadjuvante, Direção de Arte e Figurino (impecáveis, by the way).

Revolutionary Road discute as mais profundas dificuldades da vida matrimonial. Os personagens, absolutamente humanos e falhos, são o reflexo de escolhas equivocadas, decepções e angústias. Pessoas que malograram em encontrar sua essência e que buscam na trivialidade uma saída para suas frustrações.

11 comentários:

  1. Aline, assino embaixo. O filme é ótimo e recomendo para quem gosta do gênero. Aliás, assisti faz pouquíssimo tempo. Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei esse filme, acho q ele resume bem o qto algumas pessoas estagnizam suas vidas diante do comodismo....ñ q tenhamos q viver de utopia, mas a muitos lugares podem nos levar os sonhos.... o filme é muito bom msm!!!!

    ResponderExcluir
  3. Eu assisti a esse filme com o Rodrigo, acho... E até onde me lembro foi no cinema. Eu fiquei um tanto chocada.... Pensativa...

    Acho que bons filmes costumam deixar esse rastro na gente. E eu simplesmente adoro a Kate Winslet.

    =D

    ResponderExcluir
  4. Menina, agora quero assistir.
    Muuuuuito vou caçar ele agora mesmo.

    Bjs
    =]

    ResponderExcluir
  5. Eu queria ter visto esse filme no cinema... estava na minha listinha, mas perdi.

    Bom saber que você gostou tanto! Vou tentar alugar então :)

    Beijocas

    ResponderExcluir
  6. Vou procurar para assistir djá!
    A história é bem interessante, e se vc recomenda acho que vale a pena assistir :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Vou procurar para assistir djá!
    A história é bem interessante, e se vc recomenda acho que vale a pena assistir :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Aline, todos os dias eu visito o seu blog, mas essa é a primeira vez que vou comentar. Adoro o seu blog,acho fofo, interessante,o seu look não é nem o meu estilo, mas acho lindo o jeito que vc se veste, mas o que eu mais gosto é quando você dá dicas de cinema, acho incrivel a sua escrita, o seu texto, costumo colar e enviar pra um amigo que tambem adora. Eu já vi esse filme e não consegueria descrever desta forma. Parabéns! Bjs Jaci

    ResponderExcluir
  9. Oi Aline, todos os dias eu visito o seu blog, mas essa é a primeira vez que vou comentar. Adoro o seu blog,acho fofo, interessante,o seu look não é nem o meu estilo, mas acho lindo o jeito que vc se veste, mas o que eu mais gosto é quando você dá dicas de cinema, acho incrivel a sua escrita, o seu texto, costumo colar e enviar pra um amigo que tambem adora. Eu já vi esse filme e não consegueria descrever desta forma. Parabéns! Bjs Jaci

    ResponderExcluir
  10. Puta merda, achei esse filme foda. Triste, porém verdadeiro. Todos temos nossos fantasmas e sonhar move o mundo e nos faz levantar da cama todos os dias.
    bjks.

    ResponderExcluir
  11. Amei este filme! Comentei também sobre ele no meu blog, temos um gosto bem parecido para cinema.

    Muitos dos filmes que você comentou aqui eu também comentei lá...e nem te conhecia. Tão bom encontrar pessoas com afinidades.

    ResponderExcluir