segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Por que ler/ver o Harry Potter



A febre do Harry Potter coincidiu com a infância e adolescência do meu irmão e confesso que fiquei impressionada ao ver o guri devorando avidamente as centenas de páginas da saga.
Logo, a curiosidade me impulsionou a lê-los também, e os li, todinhos, assim como assisti aos filmes. Como a primeira parte do último capítulo está em cartaz e sou entusiasta dos bruxinhos, resolvi republicar aqui um texto que publiquei em 2007, à época da publicação do último volume, no site Para ler e Pensar, sobre os motivos pelos quais creio ser essa leitura interessante para os jovens (meu lado professora falando alto).
Lá vai:


  Por que os jovens devem ler Harry Potter 

          A corrida pelo último livro da inglesa J.K.Rowling, Harry Potter e as relíquias da morte está dando o que falar. Fãs do mundo todo saíram numa corrida enlouquecida em busca de um exemplar, a fim de descobrirem o desfecho da saga do bruxinho mais querido do mundo. O que será que atrai tantas mentes juvenis a essas famigeradas páginas?
Há um considerável número de pessoas que despreza ou simplesmente não nutre interesse nenhum pela série. Os mais intelectualizados não vêem muita novidade nos elementos místicos do enredo, embasado no folclore anglo-saxão. Os mais preguiçosos alegam que os livros são muito grandes. Contudo, acredito que caiba uma análise mais aprofundada sobre o fenômeno Harry Potter.
        Em primeiro lugar, há que se considerar que o público a que os livros se destinam é o infanto-juvenil e Rowling buscar atender tal proposta criando um mundo mágico que transborda criatividade, cor e  detalhe. Cada castelo, cada criatura mágica, cada bruxo especificamente é descrito ricamente e criado de maneira bastante original. O leitor é convidado a visualizar cada cena, a dar vazão à imaginação, a embarcar numa verdadeira viagem fantástica na medida em que percorre as páginas. A narrativa construída pela autora avança além dos acontecimentos e adentra os sentimentos, anseios, medos, alegrias, excitação de cada personagem, dando uma concepção bem ampla da cena descrita. Rowling, estrategicamente, encerra os capítulos no ápice das cenas, para que o leitor tenha a curiosidade aguçada e, logo, não tenha coragem de deixar a leitura para mais tarde, podendo alcançar, enfim, o tão esperado desfecho.
As tramas giram em torno da velha luta entre o bem e o mal, mas não é isso que dá graça aos livros. O universo adolescente nos é apresentado através dos dilemas que todos nós vivemos: o primeiro amor, a aparência esquisita da puberdade, o desajuste social, a rebeldia, o cotidiano escolar com seus altos e baixos, a perda da inocência, a busca pela própria identidade, a amizade verdadeira, a esperança num mundo melhor. A grande amizade entre Harry, o desajeitado Rony e a brilhante Hermione é algo que todo jovem deseja e Rowling a apresenta desprovida de interesses e máscaras sociais, isto é, sincera, como deve ser. Deste modo, o leitor acaba se identificando, inevitavelmente.
         Os temas sombrios, muito criticados pelos mais conservadores, são na verdade educativos. O tirano e cruel Voldemort, que quer dizimar os, como ele chama, “sangue-ruins” (bruxos mestiços ou filhos de não-bruxos), nada mais é que a metáfora de algumas personagens históricas, conhecidas muito bem por suas atrocidades e intolerância. A crítica ao preconceito racial e social permeia toda a obra.
O herói, Harry Potter, órfão desde a primeira infância, vive o desafio de, mesmo só, sem família que o ampare durante juventude, manter-se no caminho do bem, além de ter sua coragem testada em diversos momentos. Harry é um herói complexo, carente, inseguro, solitário, atormentado por fantasmas da infância, mas que teima em perseguir seus ideais, ser bom, combater as injustiças, ainda que isso lhe custe vida.
       Os religiosos não têm com que se preocupar, pois os livros não fazem apologia à bruxaria. A magia é descrita como algo novo, curioso e, por diversas vezes, engraçado, mas sempre pelo viés da irrealidade: varinhas mágicas, vassouras voadoras, pinturas interativas, raízes selvagens, árvores lutadoras, um mundo fantástico que em nada lembra rituais de vodu, feitiços malignos ou trabalhos macabros  regados a sacrifícios sangrentos.
A mensagem que a estória transmite é positiva, a da amizade verdadeira, a do orgulho em ser como se é, a da tolerância e respeito ao próximo, a das escolhas sadias em detrimento das mais perigosas. E permite um enorme aprendizado no que diz respeito ao folclore inglês, ao vocabulário e à ética. Sim, à ética! Pois encorajar os jovens, nesses tempos caóticos em que vivemos, a conviver em harmonia e com respeito, em nome de um mundo justo, de forma divertida e empolgante, é o melhor que um livro de ficção infanto-juvenil poderia fazer. Então, que leiam o Harry Potter! 
 




Publicação: http://www.paralerepensar.com.br/  08/08/2007



***

Sobre o filme, que estreou recentemente, apesar de ser direcionado ao público infanto-juvenil, é o mais sombrio e "adulto" da série. As provas de amor e amizade estão todas lá, os sacrifícios, as metáforas históricas e políticas. O filme também é bastante dramático, com muita tristeza, medo e dilemas amorosos. O diretor deu uma forçada de barra na questão do triângulo amoroso, talvez para atender às expectativas do público. Há cenas de ação bastante empolgantes e a fotografia está muito bonita!
E continua nos inspirando a desenvolver o nosso melhor.

***
Update!
O revista Época publicou uma matéria interessante sobre o Harry Potter, como ícone de uma geração.
Vai ler.

11 comentários:

  1. Dica ótima a sua.
    Eu parei de acompanhar o filme na metade da saga, mais por falta de tempo do que por qualquer outra coisa.

    Assim que entrar oficialmente de férias, eu alugo tudo e tiro esse atraso!

    Ah, eu mandei um email perguntando quanto você calça. Mas quando soube de sua altura (jesus!) eu cheguei a conclusão de que não será 35 mesmo! É que vi um sapato 35 a sua cara. =D

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  2. aiiii to doida pra ver o filme, ainda não vi!!!
    ja li todos os livros, na vdd devorei! haha

    ResponderExcluir
  3. Então Aline...uma leitora viu que é meio caro as peças. Mas não deve ser barato não, perguntei a ela mais ou menos o valor, qdo ela disser eu te digo. Ai, quero muito ir, imagine os achados?????

    ResponderExcluir
  4. Adorei a matéria!!! E da Época tb! Eu que trabalho com literatura infantojuvenil estou sempre atenta aos best sellers, afinal, não é à toa que eles chegam no topo, né?
    Beijinhos mil!

    ResponderExcluir
  5. Oi Aline! Eu tbm leio e assisto Harry Potter e achei muito legal cada ponto observado nesta obra neste seu post. E tbm fico encantada com tanto detalhe retratado nestes livros.
    Boa semana para vc!
    Bjus

    ResponderExcluir
  6. Gosto mt mt msm Harry ... otima dica ... Li fofa e linda heheh

    ResponderExcluir
  7. Aaaaaaaaaaaaai, como uso meus filhos como desculpa pra tanta coisa... (vergonha). eu li os livros coo forma de incentivoà Maria, que não é chegada nesse mundo da leitura não e amei. Já os da saga crepúsculo, bem, gostei menos dos livros, mas os filmes desanimam demais!

    ResponderExcluir
  8. Flor

    Amanhã é o último dia para se inscrever em três sorteios baphonycos que estão rolando lá no blog, vc não vai ficar de fora né?

    http://equilbriosempre.blogspot.com

    Passa lá e se inscreve

    Desde já boa sorte

    Bjsss

    ResponderExcluir
  9. Flor

    Amanhã é o último dia para se inscrever em três sorteios baphonycos que estão rolando lá no blog, vc não vai ficar de fora né?

    http://equilbriosempre.blogspot.com

    Passa lá e se inscreve

    Desde já boa sorte

    Bjsss

    ResponderExcluir
  10. Já assisti aos filmes do Harry Potter e sempre gostei muito.
    Mas, nunca lí os livros. Confesso que tenho muita vontade para conhecer o que tanto falam, mas minha lista de prioridades literárias está passando um pouco longe deles! rsrsrs
    Lí as Crónicas de Nárnia esse ano e amei muito!!
    Vou tentar me programar ano que vem para ler os primeiros livros da saga do bruxinho!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  11. lá em casa minha mãe que começou com a febre HP! Ela como professora de portugues quis saber pq os alunos dela falavam tanto do HP! Ela começou... aí começei a dar os livros de presente para ela ... aí eu resolvi ver o pq ela gostava tanto... e eu me apaixonei.. eu lembro que qdo eu estava pra sair o ultimo livro eu comprei a pré venda... e eu e minha mãe fizemos um revezamento de um dia eu lia e no outro ela! hahah
    Ainda não assiti o filme... estou esperado o cinema esvaziar um pouco!!mas to doida pra ir!

    beijooooo

    ResponderExcluir