terça-feira, 12 de abril de 2011

Dica cultural - I in U - Laurie Anderson


Mostra retrospectiva da artista norte americana Laurie Anderson, elaborada exclusivamente para o Centro Cultural Banco do Brasil e que apresenta um conjunto instigante de obras originais composta de instalações, fotografias, desenhos, vídeos, músicas e documentações de performances, criações produzidas desde os anos 70 aos dias atuais. 

A mostra, com curadoria de Marcello Dantas, trará pela primeira vez ao Brasil obras desta artista multidisciplinar que pesquisa o uso da tecnologia, do corpo e da linguagem como forma de expressão. 


"E se daqui a mil anos não for mais possível criar objetos artístico porque o homem terá pele e olhos supersônicos e uma mente mais aberta?" A divagação soa natural falada pela norte-americana Laurie Anderson, figura pop desde o grande sucesso da canção "O Superman", em 1981. Experimental e multimídia, apesar de ter ficado mais conhecida pela música (tem diversos álbuns gravados e seu último é Homeland, de 2010) e pelas performances realizadas a partir da década de 1970, a artista Laurie Anderson é um mundo de criações ainda mais diverso e misturado do que se possa imaginar a partir de suas canções de atmosfera surreal, mas também mundana e política. É isso que se pode ver na mostra I In U/ Eu Em Tu, a primeira retrospectiva da artista no Brasil.


Cantora, compositora e violinista desde criança, com formação em história da arte e em escultura - e casada com o músico Lou Reed - Laurie Anderson, aos 63 anos, pode se valer de diferentes meios e linguagens em suas obras, mas todas têm o sentido puro do querer falar ao público de maneira simples. "É uma mostra sobre histórias, às vezes contadas em fotografias, em filmes ou em objetos. São sobre muitas coisas, como música, vida, comida, família, tristeza, amor", diz a artista.  Laurie, que já se apresentou duas vezes no Brasil - em 1989, no Rio, e em 2008, em São Paulo - afirmou que não quis uma exposição "acadêmica". "São 40 anos de trabalho; tentei misturar tudo". 

Performance dos anos 70, na qual Laurie tocava violino para passantes 
até que derretesse o gelo sob seus patins 

Papagaio falante

Um  dos violinos  que se tocam sozinhos

Foto da série performática na qual a artista dormia em lugares públicos 
para ver  se eles influenciariam  seus sonhos.  



Até  26 Jun

Local: Foyer e 2º andar | CCBB RJ 
Horário: Terça a domingo, das 9h às 21h

Texto adaptado daqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário