sábado, 16 de abril de 2011

Só garotos

Aos catorze anos, eu não era mais a comandante de um exército pequeno embora leal, mas uma magricela fracassada, ridicularizada, no degraus mais baixo da escala social da minha escola. Mergulhei nos livros e no rock and roll, a salvação adolescente de 1961. Meus pais trabalhavam à noite. Depois de terminar nossas tarefas e a lição de casa, Toddy, Linda e eu dançávamos ao som de James Brown, das Shirelles e Hank Ballard e os Midnighters. Modéstia à parte, posso dizer que éramos tão bons na pista quanto no campo de batalha.
Eu desenhava, dançava e escrevia poemas. Não era talentosa mas imaginativa, e meus professores me encorajavam.

***

Minha colega de faculdade, Janet Hamill, levantou meu moral. Ela havia perdido a mãe e veio morar com a minha família. Dividi meu pequeno aposento com ela. Ambas alimentávamos sonhos grandiosos, mas também o amor em comum pelo rock and roll, passando longas tardes conversando sobre Beatles versus Rolling Stones. Havíamos ficado horas na fila em frente à loja de discos Sam Goody's para comprar Blonde on blonde, vasculhamos toda a Filadélfia atrás de um cachecol como o que Bob Dylan usava na capa. Acendemo velas quando ele sofreu o acidente de moto. Deitávamos na grama alta ouvindo "Light my fire" flutuar do rádio do carro velho de Janet parado na beira da estrada com as portas abertas. Cortamos nossas saias compridas até a altura das minissaias de Vanessa Redgrave em Blow-up: depois daquele beijo, e procurávamos casacos iguais aos de Oscar Wilde e Baudelaire em bazares.

(Patti Smith)

8 comentários:

  1. Simplesmente MARAVILHOSA.
    Bj
    as Fashionistas.

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente MARAVILHOSA.
    Bj
    as Fashionistas.

    ResponderExcluir
  3. Amo Patti Smith. Às vezes fico pensando no quanto a época influencia no surgimento de um grande ídolo do rockn'roll. Era uma época tão diferente a que esse pessoal viveu, onde as pessoas costumavam se reunir para ouvir discos e discutir a respeito. Enquanto antes uma menina desajeitada encontrava inspiração para viver no Rock (a história de Janis Joplin é semelhante nesse aspecto), hoje... nem vale a pena falar.
    Beijossss,
    Tati

    ResponderExcluir
  4. E poderia ser qualquer uma
    e poderia ter sido eu tmbm?

    I love...

    ResponderExcluir
  5. ahhhhhhhhhh siiim!!! esses dias nem parecem tao distantes...ontem, néh?

    ResponderExcluir
  6. um passeio na primavera da vida...FENOMENAL PATTI

    ResponderExcluir
  7. Vc é mesmo uma fofa viu! nunca pensei em estar na pastinha de alguém...eu juro que não!!!Fiquei muito feliz :)! Obrigada e ótimo findi pra vc! Bjks
    PS: A trilha tá incrível..

    ResponderExcluir