terça-feira, 7 de junho de 2011

Dica cultural - Mariko Mori




Até 10 de julho, está em exibição no Centro Cultura Banco do Brasil do Rio de Janeiro (CCBB) a mostra “Oneness” (unicidade), da artista japonesa Mariko Mori. Ela é conhecida por trabalhos que se utilizam de materiais e equipamentos tecnológicos para criar painéis fotográficos, vídeos e instalações interativas. 

O título da mostra fez referência às duas maiores instalações em exibição, que requerem a participação comunal do público. “Wave UFO” (1999/2002), uma gigantesca cápsula na qual os visitantes podem entrar (de três em três), produz animações que refletem padrões de ondas cerebrais. “Oneness” (2003), que dá nome à mostra, é um círculo de figuras feitas de material plástico que reage ao toque do público, emite pulsações e se acende.
As imagens criadas por Mariko refletem seu interesse pelo budismo e pela cultura tradicional do Japão filtrado pelo uso intensivo da tecnologia —que, a essas alturas, já é ela também uma “tradição” japonesa. O tecnológico, no entanto, às vezes infantiliza os trabalhos, e lhes dá um caráter meio de “parque de diversão”, com um visual que flerta com a imagética new-wave e dos discos voadores.



Ex-modelo de fotos e passarela, em seus primeiros trabalhos de arte (dos anos 90), Mariko se incluía em fotos e vídeos que a mostram como entidades fictícias ou em produções fantasiosas que lembram a moda dos jovens de Harajuku (Tóquio). Esses trabalhos (especialmente as fotos) trazem imagens interessantes —e são mais instigantes do que as instalações, que padecem do deslumbre pelo tecnológico. Pena que esta mostra esteja focada nas últimas.

Em meio a tanta obsessão pelo hi-tech, destaca-se uma bonita série de desenhos, “Alaya Drawings”, de 1998, que aponta um caminho pouco explorado pela artista, e que é retomado, pelo menos em parte, nas animações de “Wave UFO”.



Depois da já ter passado por Brasília, a exposição deixa o Rio e estréia no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo em agosto. Mariko deverá estar presente na abertura paulistana da mostra e, em breve, a artista deve ainda anunciar a instalação permanente de uma obra sua no Brasil, possivelmente em Visconde de Mauá (RJ).

2 comentários:

  1. Ahh, eu vi sobre essa Mariko e sua exposição na TV, achei muito bacana e gostaria muito de poder ir, pena que essas coisas não vem pra pertinho de mim, hehe.
    Se bem que, em agosto virá pra SP, hmmm...quem sabe! *__*

    Boa semana!
    Beijos!
    :**

    ResponderExcluir
  2. Eu fui! Eu fui! Mas ainda estou intrigada com aquele papo de luzinha... Depois confiro se vc teve a mesma sensação! rs

    [prometi pra mim mesma que só vou ver o mês de junho e vou dormir viu? seu blog é uma delícia menina!]

    ResponderExcluir