quarta-feira, 27 de julho de 2011

Dica de leitura - "A mulher desiludida"



Mais conhecida por sua participação no movimento feminista, com o texto O segundo sexo, a filósofa francesa Simone de Beauvoir foi também excelente ficcionista, tendo recebido o prêmio Goncourt pelo romance Os Mandarins.

Um livro seu que me marcou bastante foi A mulher desiludida, que consta de três novelas, cuja abordagem se concentra em diferentes tipos de dificuldades pelas quais a mulher passa durante o processo de envelhecimento. A velhice era um tema caro à estudiosa, que buscava ressaltar a importância de a mulher sempre  buscar a independência moral e profissional.

Na primeira novela, "A idade da discrição", temos uma protagonista que, tal como a autora, é uma estudiosa. Ela se defronta com duas difíceis realidades: o filho, que não compartilha de seus ideais políticos, decidindo abandonar os doutorado para tentar o sucesso econômico no comércio; e a má recepção de seu livro mais recente. É angustiante acompanhar a angústia da mãe que se sente cada vez mais irrelevante para o filho, bem como sua frustração ao acreditar que a velhice a impede de avançar intelectualmente. É difícil não ver um pouco da própria Simone no texto, que é muito emocionante.

Em "Monólogo", temos o devaneio de uma mulher solitária, dividida entre o perpétuo incômodo que as pessoas lhe causam e o abandono. Novamente, estamos diante de um texto forte, que por vezes nos faz odiar essa senhora reclamona e orgulhosa, mas que também nos toca com a extrema solidão na qual ela se encontra. 

O último texto, "A mulher desiludida" é o mais angustiante de todos. A protagonista, uma típica dona de casa com duas filhas já adultas, narra num diário a descoberta de que o marido tem uma amante, mas não é capaz de abandoná-lo nem de obrigá-lo a desfazer o romance adúltero. Ela se resigna, humilhada, e gradativamente perde espaço para a amante, que exige cada vez mais tempo, mais dias, mais feriados, férias ect. Nos inúmeros embates que tem com o marido, ele lhe acusa de não ter se cuidado, de ter estagnado intelectualmente, de não se interessar por seu trabalho e de ter sido tão controladora na educação das filhas que as tornou infelizes. Em meio à tristeza, solidão, insegurança, dúvidas, essa mulher se arrasta, sucumbe arrasada, percebendo que a vida perfeita que acreditava ter não passava de uma ilusão.

Todos os textos são narrados em primeira pessoa e conseguem comover sem cair na pieguice. A estrutura psicológica das personagens é tão bem construída, que quase duvidamos tratar-se de uma obra ficcional. Pode-se pensar que Simone desejasse chamar a atenção para a condição feminina, em sua época. Mas é interessante como, apesar de algumas das teorias de Beauvoir estarem subjacentes em inúmeros episódios narrados, o livro não se reduz à mera ficção de tese, na qual os textos servissem unicamente de ilustração das ideias filosóficas da autora. Eles se sustentam, mantêm sua força, ainda que o leitor não conheça nada do trabalho filosófico de Simone.

Muitos anos se passaram desde à publicação de A mulher desiludida, e muitas mulheres ainda são violentadas física ou moralmente por seus maridos ou grupos sociais, são discriminadas no mercado de trabalho, são subestimadas, o que mostra que o livro tem ainda muita relevância nos tempos ditos pós-modernos.

2 comentários:

  1. Esse eu nunca li. Já li o "A velhice" em que ela fala sobre o processo de, digamos, maturação do organismo, e é lindo!
    Eu acho que se a Simone de Beauvoir estivesse ainda entre nós, ia ficar chocada com as prisões que as próprias mulheres construíram para si mesmas.
    Belo texto Line, me deixou com muita vontade de ler esse livro!!
    Beijos
    Tati

    ResponderExcluir
  2. Falaste num tema que é uma constante no meu dia-a-dia, já que trabalho com questões de género. Não conhecia esse livro da Simone, mas vou JÁ procurar. A maneira como descreveste é bastante empolgante, dá logo vontade de ler. Aliás, adoro as tuas dicas de livros, já tenho vários na lista (não compro cá porque são muito caros!). Bjão

    ResponderExcluir