quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Dica de cinema - Becoming Jane




Adoro filmes sobre escritores. O último a que assisti foi Becoming Jane, sobre a famosa autora inglesa Jane Austen. O povo do cinema adora adaptar as obras dela para o cinema. Aposto que vocês já esbarraram com as versões de Razão e Sensibilidade, Orgulho e Preconceito e Emma numa zapeada de canais. Esses filmes são muito populares e estão sempre sendo reprisados. Há também o Clube de leitura da Jane Austen, que é bem bonitinho. 

Sinceramente, não sei como a escritora se popularizou tanto. O romance inglês, em geral, é tão descritivo e lento. É preciso muito amor pela literatura para prosseguir. Ok, deve ter uma galera me execrando nesse momento, mas a verdade é que meus favoritos em língua inglesa - Poe, Conrad, Joyce, Hemingway - não são ingleses, ou são mais transgressores, como a Virginia Woolf.

Ler a Austen foi um desafio vencido entre bocejos, mas, de fato, seus temas são bem intrigantes. Jane buscava descrever a condição da mulher na sociedade georgiana, fadada a arranjar um bom casamento com um bom partido e a depender do marido. O interessante é que ela nunca se casou, tendo recusado a única proposta de casamento recebida, no afã de buscar a própria independência através de uma carreira literária.  Ela abordou muito de sua própria realidade, retratando a sociedade rural inglesa do século XIX com a ironia que lhe era particular.

A verdade é que assistir as adaptações de seus livros é bem mais fácil (e agradável) que lê-los. Eis-me, mestre em literatura, cometendo uma heresia com essa afirmação. E Becoming Jane faz bem o estilinho de seus romances. Há o amor impossível; a mulher como refém de sua condição social, mas lúcida e contestadora; a ironia na fala das personagens; a crítica através do sarcasmo.

A película mostra Jane aos vinte, quando conhece e se apaixona pelo advogado Thomas Lefroy. Ele a conquista com seu mau comportamento e insolência; ela, por sua vez, o encanta com sua maneira autêntica e incomum de pensar e se comportar.  O rapaz, que quase mudou a sua vida por completo, influenciou também os rumos de sua escrita e a inspirou na criação dos personagens de Orgulho e Preconceito.

O filme tem seus momentos emocionantes, mas não é nenhuma maravilha. Anne Hathaway atua bem, mas sua tentativa de sotaque inglês é irritante. Já James McAvoy, no papel de Lefroy, dá vontade de levar pra casa. Ô coisinha chubby, meu pai! 

É um drama romântico leve, bem água com açúcar. Recomendo para os fãs da autora e de literatura em geral, ou para apreciadores de uma história de amor clichê - que adoro, confesso.









18 comentários:

  1. Oi ALINE ótima dica vou assistir.
    Bjs rose-jp

    ResponderExcluir
  2. Esse filme vive passando na HBO. Já vi algumas vezes. Bem legalzinho.
    Bjokas

    ResponderExcluir
  3. o figurino é tu-do! =~ os atores são tu-do! A ANNE É TU-DO! =~
    mas o livro é mais tudo ainda, quero ainda comprar todos livros da jane austen =~~


    =*****

    ResponderExcluir
  4. jura que vc acha chatinho? eu comecei a ler os livros da jane ha pouco tempo e gostei bastante, para mim foi muito fácil e até rápido, bom pelo menos os que eu já li... mas eu sou suspeita, pq apesar de ser psicologa sempre penso como estaria a minha vida se tivesse feito letras... sou maniaca por literatura, especialmente clássica... ow adoro seu blog, vc é muito legal! bjoo

    ResponderExcluir
  5. Já faz um tempo esse filme tá na minha lista "quero ver" mas por um motivo ou outro vou deixando de lado...
    Parece ser realmente fofo... e esse Clube do Livro... parece bem divertido também, pelo menos o trailer promete...rs

    Vou confessar, só li Orgulho e Preconceito e Zumbis...rs... mas os originais não...

    Outro filme que parece ser bom, fica a dica, ´Persuasão'... esse não sei se virou filme mesmo ou só a série para Tv inglesa...mas falam muito bem.

    Sobre o sotaque da Anne, também foi bem criticado nesse novo filme dela... não sei porque insistir no erro, né?rs
    Tantas atrizes inglesas boas...rs

    Adorei as dicas!rs

    bjos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Aline
    Sou fa de carteirinha da Jane Austen e nao fico brava qdo alguem fala que nao gosta...rs..gosto, cada um tem o seu ne?
    Mas continuo achando-a brilhante; ela foi muito boa em descrever os costumes de sua epoca com uma ironia e humor peculiares...qual livro vc leu? Talvez se tentasse outro, fosse mais facil...eu acho Emma o "menos cansativo" de todos, mas o meu preferido "ever" eh Orgulho e Preconceito.
    O filme "Becoming Jane" eh bem bonitinho, eu gostei tb. Bjs

    ResponderExcluir
  7. vou trazer é você pra minha casa. vem tomar café, vem!
    beijo, querida.

    ResponderExcluir
  8. Julia, o filme não é chatinho! Os livros é que são! rsrs Sorry, Lia!

    Clau, assisti ao último filme e, pasme, achei o sotaque menos irritante! Mas o enredo me decepcionou! Não sei se é fiel ao livro que deu origem a adaptação.

    Bibi, eu topo o cafezinho!
    ;)

    Beijo em todas!

    ResponderExcluir
  9. nao conhecia esse filme...quero ver!!
    beijao !!

    ResponderExcluir
  10. Não vi esse filme ainda. Mas um filme que vi a pouco tempo sobre escritores, foi O brilho de uma paixão, nossa achei lindo!!! bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi já li e assisti esse filme e achei fofo, meu preferido e orgulho e preconceito.
    Ps: acho super legal suas dicas.

    ResponderExcluir
  12. Já ouvi falar desse filme, mas nunca vi. Eu gosto muito da Jane Austen e do Charles Dickens hehehe Não sei se é porque sempre inspirou muito minha imaginação essa época, então quando eu lia um livro dela era como se eu me transportasse mesmo (e olha que eu li em inglês viu, aquele inglês bem rococó hehehe).
    Beijos
    Tati

    ResponderExcluir
  13. Tenho esse filme para ver há muito tempo, mas não sei porquê nunca assisti. Gosto muito das adaptações que se fizeram dos seus romances para o cinema, mas nunca consegui ler um livro dela. Tentei ler Intuition, que dizem ser dos melhores, mas aquele inglês complica um pouco as coisas, hehehe!

    ResponderExcluir
  14. Tati e Cat, lembro de ter lido um dos romances dela em inglês, numa edição da Longman, que sempre tem em curso (eu ainda estudava a língua na época) e, apesar da dificuldade, achei menos chato que a tradução. Ler o original, quando possível, faz muita diferença!
    Até o Foucault fica palatável. (tô impossível essa semana, os intelectuais vão me queimar, rsrs)

    ResponderExcluir
  15. Jane Austen e James McAvoy..nem digo mais nada! Mas ainda prefiro os filmes que são adaptações dos romances dela, tipo 'Orgulho e Preconceito' e 'Razão e Sensibilidade'!
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. esse filme nao é uma adaptação, é autobiográfico. e não acho uma leitura arrastada, nao.. a Jane é mto talentosa, e a historia de vida dela, um exemplo.

    ResponderExcluir
  17. Olá, anônimo! O filme é biográfico, já que não foi a própria Jane que escreveu o roteiro. Apenas comentei que o filme foi feito à maneira das adaptações, já que a Jane usou muito de sua vivência nos romances. Logo, o filme sobre sua vida assemelha-se às adaptações de seus romances.
    E concordo quanto à vida da autora ser um exemplo. Mas continuo achando sua narrativa chata, a despeito dos temas que ela desenvolve.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  18. Àhhhhhh, concordo em gênero, número e grau! É preciso muito amor para ler Orgulho e Preconceito, por exemplo! mas, uma vez lido, eu adorei. Programei em meu blog uma postagem sobre este livro no dia 10/01, se quiseres dar uma conferida, acho que nosos gostos são parecidos. Ufa, não sou a única pessoa a ter tido dificuldades com o texto dela! Beijokas

    ResponderExcluir