quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Dica de leitura - "Paris é uma festa"



O escritor norte-americano Ernest Hemingway me conquistou com O velho e o mar. Achei tão bom que emendei uma segunda leitura no instante em que terminei a primeira. O cara tinha classe sem ser excessivo,    dono de um texto enxuto, certeiro. 

Em Paris é uma festa, ele descreve o período em que viveu na capital francesa, antes de se tornar um escritor consagrado. Foi nesse período, a década de 1920, que ele iniciou amizade com Scott Fitzgerald, Miss Gertrude Stein, o poeta Ezra Pound e James Joyce. O livro é uma espécie de autobiografia parcial e descreve seus passeios com a esposa, seu relacionamento com os outros escritores, os passeios pela Cidade Luz, jantares, cafés, férias na Suíça. 

Para mim, o livro tem muitos encantos: o mapeamento de Paris sob a perspectiva de um intelectual que admiro; os babados: quem traiu quem, quem falava mal de quem, que personalidade não batia muito bem; e a narração do ofício de escritor. Hemingway abandonou a carreira de jornalista para se dedicar à escrita literária e se impunha uma rigorosa rotina de trabalho.

É interessante que o autor se descreva como um jovem seguro e centrado, especialmente se considerarmos que ele estava no início da carreira e ainda não gozava de prestígio. A pobreza e o trabalho duro, bem como a convivência com artistas mais experientes, forneceram-lhe uma nova dimensão do humano e uma sensibilidade ímpar para alcançar suas metas de ser um escritor competente e de viver em absoluta fidelidade consigo mesmo. Essa mesma sensibilidade parece ter-lhe dado a exata medida da precariedade humana, levando-o a suicidar-se com um tiro aos 62 anos. A fraqueza e as doenças da velhice não bastaram para um homem que sempre buscou a plenitude.

11 comentários:

  1. Adorei a dica de livro, mas me confesso vergonhosamente empacada no mesmo livro desde o ano passado.rs

    ResponderExcluir
  2. "Os babados" rsrsrsrs!!! Vou anotar a dica, amiga. Amo as suas indicações.
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Aline
    Adoro esse livro e depois de me apaixonar por "Meia noite em Paris" fiquei com vontade de relê-lo! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Aline, seu blog é uma delícia e uma simpatia como vc. Por aqui minha casinha está indo, vc vai ter oportunidade de visitá-la e fazermos junto com a Ju uma rodinhda literária. bjs e tudo de bom.

    ResponderExcluir
  5. Line, o bom é que quando tu for em Paris já tem as dicas dos lugares do babado né hehehe
    Hemingway era muito sensível mesmo, acho que por isso ele se identificou e amou tanto Paris. Os EUA deviam deixar ele meio desgostoso.
    Beijos
    Tati

    ResponderExcluir
  6. Oi Aline,
    que delícia ver vários livros da minha lista de leituras para esse ano por aqui! ; )
    Estou querendo muito ler Hemingway: vou começar com "O velho e o mar" e depois esse.

    Você já leu "A Verdade das Mentiras" do Mario Vargas Llosa?
    Acho que você vai gostar!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Sempre quis ler esse livro, por dois motivos: é do Hemingway, e chama-se "Paris é uma festa". rsrsrs

    ResponderExcluir
  8. Eu gosto tanto do seu blog! Sempre criativa, com ótimas dicas musicais, literárias etc, você tem muito bom gosto! Abraço e continue escrevendo!

    ResponderExcluir
  9. ótima dica! Estou com vontade de ler Hemingway desde que vi 'Meia noite em Paris'...

    Bjus

    ResponderExcluir
  10. Olha, coincidência ou não, li esse livro na semana passada. Estou fazendo uma viagem pela Europa e finalmente cheguei em Paris, 01 semana após ter lido esse livro maravilhoso sobre a cidade. Na verdade parece que esse livro foi publicado post mortem e que então não teria sido terminado. Achei sensacional e fiquei com vontade de ler outros dele, e também de Fitzgerald. Recomendo também!

    ResponderExcluir
  11. Nunca li nada do Hemingway, mas fiquei com bastante vontade de ler Paris é uma festa! Na hora pensei em Meia Noite em Paris...hehehe
    Beijos

    ResponderExcluir