terça-feira, 24 de abril de 2012

your love is like a rollercoaster, babe.

Gosto de pensar que a forma mais genuína de amar deve ser aquela que traz um pacote de ressalvas entre parênteses. Porque amar alguém de quem nunca se discorda, que pensa exatamente como nós e tem os mesmos desejos pode descambar numa facilidade entediante.

Foda é amar apesar das diferenças, das rusgas, dos embates. É querer ao mesmo tempo cuidar e dar uns sacodes pra ver se a criatura acorda. Amigos e amores discordantes nos obrigam a pensar fora do quadrado, nos desafiam, nos permitem olhar as coisas sob novas perspectivas e obter concepções menos simplistas. É um exercício de respeito, de tolerância, um aprendizado que pode tornar a ligação mais forte, desde que as partes estejam dispostas a ouvir e a se colocar na pele do outro. 

É claro que há quem prefira um passeio de charrete à montanha russa. Em geral, a gente escolhe se lambuzar na doçura da concordância por inércia. Mas se os todavias não chegam a dar substância, nos casos que se tornam indigestos, pelo menos dão uma apimentada e a gente fica um pouco mais esperto. E doce demais enjoa, né, povo?

10 comentários:

  1. Texto perfeito
    responde a uma pergunta que me fizeram essa semana
    sobre pensamentos divergentes entre meu namorado e eu. Se eu quisesse alguém que só concordasse comigo compraria um gravador.

    bjs sua sábia

    ResponderExcluir
  2. Parece eu e meu marido, principalmente a parte de querer cuidar e dar uns sacodes hehehe. Adorei! E entre a charrete e a montanha russa, sou muito mais a montanha russa =D Beijos

    ResponderExcluir
  3. Concordo muito com você, Aline! E não só porque eu adoro um "amor montanha russa", mas porque acho que não deve existir alguém com quem a gente concorde sempre, porque aí não tem crescimento de nenhum dos dois! É bom debater, e até brigar, de vez em quando. Belo texto!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Passei aqui para lhe dar os parabéns!! As fotos para o catálogo da Intuitif ficaram lindas!!

    bjs!

    ResponderExcluir
  5. O segundo parágrafo define minha relação com amigos e amigos, quase sempre. Às vezes enriquece mesmo, nos outras é uma fonte de transtorno. Mas pra saber é preciso tentar, e acho que a gente sempre aprende alguma coisa.

    ResponderExcluir
  6. Amei o texto perfeito tive q copiar passar em frente lindo mesmo


    Um Kisu da Liliane
    http://dubalaiochic.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. O texto deve ser seu mesmo né mais ficou tao perfeito que copiei mais coloquei seu nominho ta srsrsrsrs

    ResponderExcluir
  8. Concordo demais. Se a gente não tiver alguém ao lado pra dar umas sacudidas, a gente não amadurece. E fora que é muito chato ficar num relacionamento em que você não pode dar um pio, que nem uma lagartixa que só balança a cabeça. Néééém...

    ResponderExcluir