segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Little pieces of my week

Olá, pessoal!
Vim quebrar o silêncio com pedacinhos da semana que passou, em fotos toscas de celular:

Já chegou o disco voador com essa exposição bem bacana lá no CCBB, "Nunca aprendi a pousar", do chinês Gai Guo-Qiang. 


Rafinha, o sobrinho mais fofo do universo, que apertei até quase esmigalhá-lo no dia dos pais. Ele pega o telefone celular do meu irmão e canta "béin béin" para que ele ponha a trilha do Kill Bill para tocar ("Bang Bang", da Nancy Sinatra). Também faz "tan tan tan tan tan ran" para reproduzir "Smoke over water", que ele ouve a irmã mais velha tocando. *.* Meu sobrinho é JÊNYO, gente!

Baú Yellow Submarine, presente do respectivo. ♥

Apesar de ser praticamente colado no meu trabalho, só semana passada fui conferir o MAR, Museu de Arte do Rio. Fiz a foto no mirante cuja intenção deveria ser proporcionar uma bela vista, mas esta anda prejudicada pelo excesso de obras, entulhos, aindaimes etc. Quanto às exposições, gostei bastante da CO-LE-CI-O-NA-DOR. Bela seleção e uma apresentação inusitada.


Estou pretendendo conferir toda essa série de palestras sobre Literatura Contemporânea que começou na última quarta, no CCBB. A primeira foi bem bacana, sobre bibliotecas e acervos digitais, com Mathew Battles, diretor do MetalLab - Universidade de Harvard.


Os funcionários do meu trabalho montaram uma biblioteca informal com muita coisa interessante. Não há nenhuma burocracia. Retira-se e devolve-se os livros, sem registro ou prazo. Amei a iniciativa e já peguei esse aí com ensaios da Ana Cristina Cesar.

Duas coisas nocivas na minha vida: a loja virtual e o cartão da Renner. Já comprei de cosmético a sapato ali. É cômodo, a entrega é rápida, as roupas da Renner são, sim, mais caras, mas também têm melhor qualidade e são mais bonitas (para o meu gosto, pelo menos), quando comparadas com as outras fast fashion. Tenho uma queda especial pela seção de senhoras. Sou velha, não tem jeito! Acima, estreando um suéter (é suéter isso? nem sei!) de caveiras, o vestidinho azul e uma satchel inspired preta.


Minha coleção de BB Creams. Vamos mandar a real nessa bodega! BB Cream só adianta a vida de quem já tem a pele ótima. Eu que sofro com oleosidade, olheiras e melasma não posso abrir mão de base e corretivo se quiser ficar com a pele mais uniforme.
O da L'oreal deixa a pele linda nas primeiras horas, mas não segura o brilho. Suas qualidades são o filtro solar 20 e a cobertura suficiente para o dia a dia.
O da Maybelline é o que segura melhor a oleosidade na minha pele. Tem filtro 30, mas pouca cobertura. Uso por baixo da base e fica tudo lindo!
O da La Roche-Posay foi a maior decepção, porque eu venero a linha Effaclar. Inclusive, se a minha pele não é uma poia fedida atualmente, atribuo a anos de Effaclar e Normaderm, as linhas para pele oleosa da La Roche e da Vichy respectivamente. Esse BB Cream e o da Shills - o pretinho - têm uma cor cinzenta muito esquisita, que mal cobre coisa nenhuma, e ambos encaroçaram a minha pele, embora tenham texturas muito diferentes. O da La Roche-Posay é bem fluido e emoliente, enquanto o da Shills é mais grosso. Mas a verdade é que ambos foram dinheiro jogado fora :/


Quando a Americanas.com liberou a farra do boi com livros a 3,90, empunhei meu cartão e me lanhei toda em duas compras que contabilizariam treze livros. Acontece que a entregadora me fez o imenso favor de extraviar um dos pacotes com parte das encomendas, e acabei ficando sem os livros, porque, ÓBVIO, que eles esgotaram no estoque. Murphy me ama e me deseja.
Passados o estorno no cartão, a decepção com a espera frustrada e o bafafá no Reclame Aqui, fiquei curtindo a nostalgia dos livros não lidos e já muito desejados, e resolvi buscá-los em outras fontes. Dois eram o estudo da Carolina Nabuco, que relaciona a literatura e a história norte-americanas, e essa coletânea da Laura Riding de que a Ju tanto faz propaganda. O escorpião encalacrado reúne ensaios sobre o Cortázar e não fazia parte do pacote sumido. Ele me foi indicado pela Denise, depois que fiz o intensivão com esse escritor. Comprei os três na Estante Virtual, que segue sendo a melhor fonte para livros raros, antigos ou esgotados. Não inicei a leitura de nenhum deles ainda, porque estou ensandecida tentando terminar o Corcunda de Notre Dame para o fórum Entre Pontos e Vírgulas, da Dê, mas já estou toda me coçando para devorá-los.

No mais, terminei de ler um livro incrível e estou ensaiando uma resenha aqui para o blog. Que a preguiça e a embananação não me detenham!

Beijo pr'ocês e até qualquer dia!

4 comentários:

  1. adoro quando você conta os seus dias aqui no blog... agora que estou com um celular meio decente vou tentar fazer isso no meu blog (que anda tão parado, por pura falta de tempo e excesso de sono)
    Já tentou a base da maybelline para pele oleosa? acho que é dream alguma coisa!
    Minha vida de leituras deu um breque pq estava lendo "ensaio sobre a lucidez" e achei tãããããão parado que estou me arrastando para ler... aí decidi tirar umas férias dele e começar a ler um livro sobre a história do samba aí no rj! aliás estou querendo ir em algum fds de setembro para o rj... descansar a cabeça e tals! Se eu for te aviso!!!
    saudades imensas Aimée!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudades suas também, querida!
      Eu já uso essa base da maybelline, assim como o pó compacto.
      ;)
      Venha pro Rio e me avise!

      Bjo!

      Excluir
  2. Também amo os seus posts "fragmentos do cotidiano".
    Amo num grau, fico com vontade de ler, ver filmes e ir a exposições <3 Minha mãe diria que você é uma influencia positiva em minha vida!
    Um beijo,
    Lou

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro ser boa influência outra uma linda como você! <3

      Excluir