terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Conclusões e mudanças



Meu curso de História da Música Ocidental acabou. Foi uma das coisas mais incríveis que me aconteceram esse ano e já estou com saudades, ansiosa com a promessa de mais dois cursos com o Maestro Ricardo Rocha ano que vem: Audição e apreciação de música e sobre as Sinfonias de Beethoven. Tomara que aconteçam! 

Agora que estou na procura de novo apartamento, começo a sentir saudades dessa casinha velha que me abriga. Nada que eu não vá superar, mas parece que os lugares sempre deixam a sua marca em mim, para o bem ou para o mal. Especialmente porque sou muito caseira e boa parte da minha vida transcorre entre paredes domésticas. Olho nostalgicamente para a minha cozinha espaçosa pensando que, para onde vou, o espaço certamente será muito menor. Faço um muxoxo durante dois segundos e penso, “Hey! Cozinha menor, menos esforço na faxina!” 



Fora que me livrarei desse quintal imenso!!! Gente, quintal é lindo, é amor, é tudo de bom quando dispõe-se de: 

a) Tempo para limpá-lo;
b) Disposição;
c) Dinheiro para pagar quem o limpe. 

Ausentes as condições acima, o que você terá é um matagal fora de controle, montanhas de folhas secas e frutas estragadas cobertas de formigas. Como o primeiro e o segundo itens me são escassos, acabava apelando para o terceiro. E a verdade é que praticamente não aproveitei esse espaço. Uma ou outra vez, arrisquei comer as goiabas da árvore, fiz um suquinho com as acerolas ou um chá de romã para dor de garganta. Ficar de bobeira no quintal é algo que não tenho o hábito de fazer, até porque ficar de bobeira em si já é algo tão raro que prefiro fazê-lo com mais conforto (no sofá, na cama) ou estilo (geralmente passeios culturais). 



Também torço para que os bichanos se adaptem ao espaço reduzido do futuro, já que aqui eles podem não só correr à vontade, como se esconder uns dos outros com muita facilidade. Como eles nem sempre estão a fim de ficar muito grudados, a adaptação deles certamente será um ponto a me preocupar. Busco me consolar pensando que milhares de pessoas criam seus gatos em apartamentos e preferem assim. Inclusive, muitas das organizações que resgatam gatos e os oferecem para adoção dão preferência a protetores que moram em apartamento porque julgam o risco de fuga dos bichanos menor.

A iminência da mudança dá uma excitação de coisa nova, misteriosa... Como se eu tivesse recebido uma chance de recomeço, que me anima a traçar novos planos. E nem é uma sensação incomum comigo, já que sou praticamente nômade: é a quarta moradia desde que saí da casa da minha mãe. O desejo de mudanças, no entanto, não se deve à alguma decepção com o ano que passou.

Acho que posso dizer que tive um bom 2013, embora a minha cabeça pareça estar mais zonza que nunca. Estive mais próxima dos meus amigos, fiz vários passeios culturais, participei de uma coletânea de contos e crônicas, visitei vários lugares bonitos, voltei a Buenos Aires para uma viagem nerd-romântica, conheci a encantadora Colonia del Sacramento, publiquei alguns artigos em sites e revistas que respeito, descobri que um artigo meu foi citado numa dissertação de mestrado (chora de emoção), participei do desafio de ler sete livros em sete dias com a querida Denise, discuti literatura com o pessoal do ótimo fórum Pontos e Vírgulas, li vários livros do Cortázar e um livro de mudar a vida, dediquei-me a estudar temas que me são caros... Uau! One hell of a year! A verdade é que tanta coisa tem acontecido e tão rápido que mal tenho tempo de processá-las. Tenho estado sensível além da conta, muito vulnerável, o que talvez explique o excesso de problemas de saúde sofridos esse ano.  Mas posso dizer que com todas as zicas e travamentos dorsais, o saldo foi muito positivo.

Agora, novidades! Fiz duas tatuagens! Quem me segue no Instagram ou é coleguinha de face já deve ter visto. Estava há tempos com vontade de fazê-las, daí aproveitei minhas férias e fui. Enriqueta e Fellini, personagens do quadrinho argentino Macanudo, na perna direita; e o Yellow Submarine, dos Beatles, no braço esquerdo. Fiz as duas no mesmo dia e doeu pra $%*#@! A da panturrilha, principalmente.


A Enriqueta e o Fellini têm tudo a ver comigo: amor aos livros e aos felinos. ♥  São os meus personagens favoritos do Liniers e essa cena da tattoo é muito minha vida: ler jogadona no sofá na companhia de meus bichaninhos. Substituí a cor original da poltrona pela minha cor favorita. :P

Já o submarino além da menção óbvia à minha beatlemania, é um dos símbolos da psicodelia da década de 1960 (amo!). Tem essa letra de vida feliz e meio hippie ("As we live a life of ease everyone of us has all we need/ Sky of blue and sea of green / In our Yello Submarine") e, por ser um veículo, representa a transição, o movimento, a viagem. E uma viagem aquática. A água representa, em inúmeras culturas e religiões, o nascimento, a fecundidade, a origem da vida, a purificação, a transformação, a força, o trabalho. E acho que a "viagem" da minha vida é essa: a da transformação espiritual, a da busca incessante pelo fortalecimento. Pode parecer delírio, mas é que tatuagens costumam ter um significado muito particular apenas para quem tatua, rs.

Então, se meu ano foi intenso de acontecimentos bons, também devo dizer que foi um ano difícil, trabalhoso, um ano de muito esforço e adaptação. E se meu submarino veio para marcar a longa e sinuosa estrada que estou a percorrer, ele também celebra a verdadeira Magical Mistery Tour que tem sido a minha vida.

é em trânsito
que sucede
o esparzir-se
o aprumo
    amplificado, secreto
     circucelular de si

  o florescer de saturno
a alma constelada
em anéis de força

   -esp-
    a    i
    d    n
    a    h
          a

nebulosa

 afiada.

20 comentários:

  1. Esse ano foi - para muitas pessoas que conheço - confuso...cheio de sentimentos...
    Mas 2014 vai ser bom para todos nós
    Um abração Aline!!! Tudo de bom pra ti e teus leitores!

    ResponderExcluir
  2. Ai Aline
    meu ano também foi mega intenso
    contarei só no fim mesmo
    não tinha visto as tatuagens, são lindas!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ítala!
      Você deve estar bastante ocupada com os preparativos do casório, né?
      Boa sorte, querida! Tudo de bom!
      :)

      Excluir
  3. vai mudar moça? que coisa! perder essa cozinha enorme deve ser desolador mesmo. mas eu me viro bem com minhas cozinhas minúsculas! hahahahah
    amei, amei, amei as tattoos. tô pra fazer uma também, mas ainda não decidi tudo.
    sabe que ainda não mudamos pro centro? pelo visto vai ficar pra fevereiro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, vou ter de aprender a me virar também, né? Rsrs
      E mais tatoo? Oba!
      Beijo grande, querida!

      Excluir
  4. Aline,

    O ano de 2013 também foi uma viagem meio misteriosa para mim, boa, com saldo positivo, um prenúncio de muitas mudanças!!!
    Você é uma pessoa fofa, especial, como se fosse uma amiga por quem tenho carinho e admiração, sinto isso, desculpe a pieguice!
    Abraços.
    Patrícia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own, que fofa!
      Obrigada pelo carinho!
      Tudo fé mais lindo outra todas nós!
      :D
      Beijo!

      Excluir
  5. Aline,
    que post lindo! Sempre "viajo" junto com vc nos seus textos e me pego suspirando, pensando e sorrindo!
    Que 2014 seja rico em experiências, amor e crescimento!
    Beijos mil, linda Aline! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beijos, querida!
      Obrigada pelo carinho e amizade!
      Tudo de bom para vc também!
      :)
      Beijão!

      Excluir
  6. Eu tinha visto as tattos e elas são lindas, lindas, lindas!
    Também ando mergulhada no Cortazar, com ideias de experimentações teatrais .... E o quintal dá dó mesmo, mas super entendo. Trabalho em um espaço coletivo que tem um liiindo quintal, todo mundo ama, mas na hora de catar as goiabas podres ou as jaboticabas cheias de abelha, todo mundo corre.
    Mudança, embora muito estressante, não deixa de ser gostoso. Boa sorte na sua!

    ResponderExcluir
  7. Adorei suas tatoos. Adoro seus textos.
    2013 foi de arrepiar pra muita gente. Eu fui inundada por mudanças, surpresas, superação... Mas, o saldo foi positivo, pois saí mais fortalecida. Ainda não tinha parado pra fazer minha retrospectiva, aí veio você, LINDA, e joga tudo num texto maravilhoso como se tivesse escrito pra mim (kkkk).

    Tudo de bom pra vc em 2014, Aline!
    Abraço fraterno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Óin, linda é você!
      Tudo de mais lindo pra nós!
      :D
      Beijão!

      Excluir
  8. Aline,
    Dá a maior pena de perder esta cozinha fofa, né ? Que o novo lar seja bem iluminado por Deus e que vocês todos sejam muito felizes ! Mas, lindinha, não se esqueça de colocar tela nas janelas, mesmo em andares mais baixos. Gatos adoooooram se jogar atrás dos pombos e aí...
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela força!
      E a primeira coisa que farei será telar as janelas!
      ;)

      Excluir
  9. Não tô com "inspiração" pra escrever hoje, mas queria dizer pro mundo todo ouvir (rs) que adorei seu post, ter o privilégio de ter acompanhando esse ano de 2013 da sua vida e ter compartilhado o meu com você <3

    Te amo, amiga, pode contar comigo nesse ano bom de 2014 também!
    Bj!

    ResponderExcluir
  10. Sou gateira de apartamento e posso dizer que eles se adaptam sim. Mas, precisa ter um cantinho com sol, pois é ali que eles ficarão a maior parte do tempo. E claro, telas em todas as janelas..rs De resto fica tranquila =) Eu já tinha visto as tattoo e achei lindas! Que seu 2014 seja ainda melhor e mais cultural !!

    ResponderExcluir