terça-feira, 6 de maio de 2014

O ano da leitura mágica

 As palavras têm vida e a literatura se torna uma fuga, não da vida, e sim para dentro da vida. (Cyril Connolly)

Uma moça apaixonada por literatura presenteia uma amiga, também apaixonada por literatura, com um de seus livros, que trata, vejam só, do amor à literatura. Essa amiga ama o livro e já começa a imaginar a quem poderia legar esse pequeno ato de carinho. Eis uma cena doce, uma corrente do bem, uma bela situação para se imaginar.  Felizmente essa situação ocorreu comigo.

A Denise (sempre ela, e eu juro que ela não me paga para promover o seu blog) passou para mim O ano da leitura mágica em um de seus desapegos. Ela viu que eu havia lido e curtido o Julie & Julia, livro sobre um desafio de receitas ao longo de um ano, e imaginou que eu pudesse me interessar por essa história. Nina Sankovitch, a autora do livro, decide ler um livro por dia durante um ano após um acontecimento trágico em sua vida: a morte da irmã.

A irmã de Nina teve câncer e faleceu muito rapidamente após o diagnóstico, deixando toda a família abalada com essa perda prematura. A autora começa a sentir medo, revolta e culpa por ter sobrevivido e por não ter podido aplacar o sofrimento da irmã. Como uma maneira de dar valor a vida e fazer algo especial para si mesma, ela decide ler um livro por dia durante um ano, a partir do seu aniversário. A autora consegue ler uma média de setenta páginas por hora, o que facilita a tarefa. (Preciso confessar que morri de inveja, já que minha média de leitura é de quarenta páginas por hora.) Não satisfeita com a proeza, Nina ainda decidiu publicar uma resenha por dia em seu site pessoal, Read All Day.

A façanha de Nina é impressionante porque ela tem quatro filhos (além de uma enteada), é responsável por administrar algumas atividades na escola dos meninos e ainda cuida da casa. Mesmo com tantos afazeres,  ela se sentava toda noite em sua poltrona roxa fedendo a xixi de gato e só saía dali quando terminava a leitura. Pela manhã, ela escrevia as resenhas. Impressionante, não?


Nina pegava os livros da semana na biblioteca pública e tentava ler títulos de variados tipos. Com o tempo, seu blog foi ficando tão popular que ela começou a receber sugestões de leitura de amigos, leitores e parentes. 

O ano da leitura mágica conta um pouco da história familiar de Nina, de sua relação com a irmã, e descreve como os livros a ajudaram a entender seus medos, sua raiva e sua frustração. Cada livro lido lhe ensinava um pouco, proporcionava-lhe um pouco de sabedoria, ajudando-a a se apaziguar. Nina descreve os livros que mais a marcaram bem como os principais ensinamentos que conseguiu obter deles.

Os livros não apenas estavam me levando para longe, para fugas de novas experiências, mas também para pessoas, lugares e atmosferas criadas por escritores que também me traziam de volta para aqueles tempos da minha vida em que eu tinha esperança no futuro. (p. 177)

É inevitável querer ler tudo o que ela comenta porque ou os livros são realmente incríveis, ou ela é muito talentosa na tarefa de descrevê-los. Ao longo da leitura, eu pensava: "Não acredito que Denise teve coragem de se desfazer desse livro? Ainda bem que ela teve!!!"

Lembrei-me do conselho do primeiro livro que li no meu ano, "A elegância do ouriço", que dizia que eu encontrasse momentos de beleza, recuperando lembranças e absolvendo a culpa. Buscando paz e descobrindo alegria. (p.96)

Apesar dos problemas de tradução e  revisão, que são poucos, mas existem, O ano da leitura mágica é um relato sensível, doce, recheado de citações, uma pequena pérola para os amantes de livros. Ele nos convida a pensar sobre o poder transformador da literatura, sobre como aceitar os sofrimentos e as belezas que a vida nos propõe; convida-nos a perceber que a vida é preciosa, mas também frágil, e que o sofrimento e a alegria são sentimentos universais. "Os livros permitem que experiências sejam revividas e que lições sejam aprendidas", diz a autora. 

O relato de Nina Sankovitch é inspirador e cativante, e tornou-se mais especial por ter-me sido legado por uma querida irmã das letras.

***
Nina dá as dicas para ler como se não houvesse amanhã:

HOW TO READ All DAY

Always have a book with you.
Read while waiting.
Read while eating.
Read while exercising.
Read before bed.
Read before getting out of bed.
Read instead of updating FB.
Read instead of watching TV.
Read instead of vacuuming.
Read while vacuuming.
Read with a book group.
Read with your kid.
Read with your cat.
Read to your dog.
Read on a schedule.
Always have a book with you.


4 comentários:

  1. Esse livro parece tão interessante e agradável.
    Fiquei com vontade de lê-lo!
    <3

    ResponderExcluir
  2. Puxa! Há uns 2 anos q vi esse livro mas não comprei... depois lembrei da história, me arrependi, mas esqueci o nome/autor! Vlw por me falar justo sobre ele... rs

    ResponderExcluir
  3. Já entrou para a lista dos mais desejados!! Que lindo seu texto e que show que deve ser esse livro!! Como sempre, adoro seu blog!!

    ResponderExcluir