terça-feira, 30 de setembro de 2014

12 pétalas, nenhuma flor

gastei o tempo inteiro do mundo
em polinizar esse raio
dei-me em prensa explosiva
pra figurar cintilada:
— cálice rubro e faminto —

deitei seiva
em idílico parto

baldado,

que o perfume verteu-se abjeto
o fascínio, esterelizado
um desperdício de pétalas
em coisa que não se dera

e a morte prematura
de broto ansioso

— que não era.

2 comentários: