quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Begin Again



Tive bastante preguiça de conferir Begin Again porque a Keira Knightley nunca me convenceu como atriz, e porque eu suspeitava a química entre ela e Mark Ruffalo seria muito improvável. Só que, quando vi que a película havia sido escrita e dirigida por John Carney, o mesmo do delicioso Once (2000), deixei a hesitação de lado e fui conferir.

Eis o plot: Greta é compositora e tem um relacionamento com Dave (Adam Levine), um músico em franca ascensão, que acaba de assinar um contrato com uma grande gravadora. Famoso, Dave dá-lhe uma pé na busanfa, deixando-a na pior, aquela coisa bem hollywoodiana.  Uma noite, o produtor musical (na verdade ex produtor, porque acabou de ser demitido e sua vida está uma bagunça) Dan (Ruffalo) a vê cantando num bar e insiste que ela tem de gravar um disco. Ela hesita um pouco, mas acaba concordando, e eles iniciam um projeto de alternativo, com músicos convidados na amizade. A ideia é gravar as músicas de Gretta pela cidade de Nova York: na rua, no metrô, na casa dos amigos, no telhado de um prédio...

Como em Once, duas pessoas em crise se juntam numa paixão comum - a música - e acabam desenvolvendo uma relação de cumplicidade e amor, ainda que não romântico. Um acaba ajudando o outro a encontrar motivação e a superar a tristeza. Só que Begin Again é um filme mais comercial, da narrativa ao elenco. Além de Knightley, Ruffalo e Levine, o filme conta também com os músicos CeeLo Green e Mos Def. Os músicos ouvem suas playlists em seus iPhones e os personagens discutem o download musical e os lançamentos de discos na internet. 

Once, por sua vez, é um filme alternativo. Os protagonistas são um irlandês e uma russa, eles são pobres, ferrados, moram no subúrbio e a dificuldade de suas vidas soa muito real. O modo como eles compartilham música e como buscam suavizar a vida com ela é muito mais poético, suas músicas soam muito mais pungentes.

Tá, Begin Again é inferior a Once, não há dúvidas. Mas para uma proposta mais pop, mais comercial, é até um filme interessante. A trilha sonora é uma delícia e, pela primeira vez, não quero sair correndo diante da atuação de Knightley. O filme tem uma história bonitinha e essa ideia de juntar uma galera que curte música pra tocar junta é bem cativante e inspiradora. O filme vai ter sua cota de cenas cafonas e clichezentas, mas também vai ter momentos fofos, um final que foge à regra das comédias românticas e passeios pela viva e radiante N.Y. que vão te fazer querer flanar com os personagens.

Ruffalo não está no seu melhor momento e, como eu previa, a interação entre ele e Keira soa forçada. Ainda assim, é um bom filme para aqueles momentos em que a gente quer um divertimento mais suave.



Aqui, o link para a trilha sonora de Begin Again.

Trailer de Once.

Minha música favorita de Once é essa.

4 comentários:

  1. Achei o filme quentinho, daqueles pra vc sair do cinema sorrindo.

    Não gosto da Keira. Ela não me convence nem atuando nem cantando.
    Tem como não se apaixonar pela trilha?

    ResponderExcluir
  2. Aline, amei Once tb!
    E vou conferir a chatinha da Keira só pq vc me convenceu! ;)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. A Keira também não me convence muito como atriz, tanto que quando ouvi falar do lançamento de Begin again não fiquei interessada em ver. Também gostei muito de Once e talvez eu veja esse filme por causa do diretor.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Concordo, não acho ela lá grandes coisas. Mas gosto do ator e uma comédia romântica de vez em quando não faz mal a ninguém. Valeu pela dica. Boa semana

    ResponderExcluir